Avançar para o conteúdo principal

Um Sonho: Sedução a três - Parte 1

http://hosted.x-art.com/galleries/in_the_blind/x-art_caprice_jake_in_the_blind-8-sml.jpg
Claro que até nas fantasias tu me conheces como ninguém!

Dizes-me que vou ser presenteada. Vamos jantar e pedes-me para me produzir, vou seduzir-te como gosto. Reparo, no entanto, que tens um sorriso malicioso quando me dizes isso e o teu telemóvel esta mais activo do que de costume.
Desvalorizo, o entusiasmo já se apodera de mim.

Depois de um banho, coloco creme por todo o corpo e deixo-o suave e perfumado, tal como sei que te delira. Vou estrear aquela lingerie! As meias de liga pretas, com os laços vermelhos, a calcinha rendada vermelha, o corpete rendado e os laços na liga. Sinto-me linda e sei que vais tira-la num ápice, mas este ritual faz parte da sedução que tanto prezo!

Pergunto onde vamos jantar, mas não me queres dizer. Digo que falta escolher o resto da vestimenta e a informação é importante, sabes como gosto de me enquadrar no espaço. Desta vez tu ordenas: vais de vestido e saltos altos. Cada vez mais fico curiosa mas, apesar de ser raro, obedeço sem grandes questões.

Vamos para o carro e continuo a reparar no teu telemóvel. Desta vez das-me uma pista de quem é, vamos ter um jantar a três. Estou empolgadíssima!

Chegamos aquele italiano. Estou produzida e vou ter um jantar romântico a três, pareço uma teenager de novo.

Esperamos no estacionamento e chega ele. É a primeira vez que o vejo mas reconheço-o pela postura, pelo olhar e mais um sorriso malicioso desta vez nos dois.

Começo a suspeitar do que se trata mas nem quero pensar muito, vamos aproveitar a noite, o momento. Tal como já se havia verificado em teclas, a empatia é imediata, a surpresa esta na vossa sintonia. E que me atrai bastante, rimos os três. Vocês estão com o humor apuradíssimo e o meu sorriso que já impera é maior ainda!

A meio da refeição, já depois de alguns goles de bom vinho, a conversa apimenta um pouco. O mais que tudo deixa o atrevimento debaixo da mesa fazer traquinices e lançam-me o desafio pela sobremesa: Estás pronta? Pergunto - para....- O marido intervém e diz que hoje eu vou ser submissa, não tenho de questionar. Estou pronta porque ele diz que sim! Estou a antever uma longa noite mas nem questiono mesmo, vou deixar a surpresa ser soberana.

Depois do jantar bem agradável vocês vão trocando informação que não percebo. Parecem dois autênticos traquinas. Estou contagiada com o vosso furor.

No estacionamento decidem como será: eu irei atrás mas...surpresa...vendada. Os dois sempre a espicaçar durante a viagem e eu sem a visão para ver o percurso sequer.
Paramos e abrem-me a porta, eu saio e depressa sou encostada no carro. Ali mesmo sou beijada pela primeira vez. Como ansiava eu este beijo! Entretanto foi só um, puxas-me para ti, encostas-te atrás de mim e.... sou beijada de novo. Sabor diferente, toque diferente e segredas-me ao ouvido: calma...é só o início!

Subimos umas escadas, sou levada pela mão, deduzo que estamos num motel mas nem questiono, tenho o coração a bater a mil.

Lá em cima tiram-me as mãos...estou um pouco desamparada, mas pedem para esperar. Começo a ficar inquieta e as questões surgem...nada de perguntas dizes tu...hoje será como queres mas sou eu que mando...eu e o novo amigo. Tu serás dominada como gostas, mas para isso...obedece!

Sinto alguém, de novo atrás de mim, e o fecho do vestido a ser aberto. Sou beijada de novo em diversos sítios: na boca, no pescoço nas costas, até nas mãos. Se isto é ser dominada...tanta doçura...toques suaves. Quero mais!

Sou direccionada a algo que me apercebo rapidamente ser a cama. Sento, mas depressa alguém me puxa pelas mãos e me faz deitar. Tenho as mãos acima da cabeça a ser atadas com uma espécie de fita de toque macio. Já sem o vestido, estou ainda de lingerie e tacões. Os beijos continuam e de vez em quando roçam os vossos corpos no meu.

De repente, puxam o soutien para baixo. Fico com os peitos desnudos e os mamilos hirtos são ambos sugados! Gemo e inquieto-me. Vocês já não conversam. Se o fazem, é de forma a eu não perceber. Mas os vossos toques são em uníssono! Beijam-me dos peitos até aos tornozelos. Onde cada um agarra e afasta.
Fazem o percurso de volta, pelas pernas acima, sinto as mãos másculas a tocarem-me e a tanga também é despida.

Tenho de novo o jogo do beijo inicial...ora um...ora outro me vai saboreando e eu não sei até onde aguento mais!

Dizes-me ao ouvido, que tenho de me entregar se quero elevar a fasquia! Sabes o quanto eu quero e enquanto me beijas...uns dedos me exploram! Não aguento, quando me sugas mais um peito e deliro com a língua que me devora a humidade! Quero mais e venho-me!

Esperava sentir algo a possuir-me neste momento mas....afastam-se! Estou em suspense de novo....

http://hosted.x-art.com/galleries/in_the_blind/x-art_caprice_jake_in_the_blind-6-sml.jpg

Imagens cedidas por X-ART.COM.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Unicórnio domado I

Escolhi chegar mais cedo, com o desejo de que o tempo de espera abrandasse a inquietude interna. Sentei-me num dos bancos, do lado menos movimentado da estação. A intenção era manter-me em discrição, apenas observar. Queria-a admirar de longe, quando chegasse. Queria-a ver procurar-me com o olhar. Imaginava o quanto estaria ela ansiosa na longa viagem. Seria o desejo dela por este encontro tão desmedido como o meu?

Fiquei novamente com a sensação de estar a viver no limbo. Esse mesmo sentimento a causa do nosso primeiro arrufo e afastamento precoce. Mania da desconfiança!

Fez mais de um par de anos desde que conversamos, continuadamente durante um mês, num chat, até nos voltarmos a cruzar no mundo cibernético. Não foram as fotos que me cativaram pois ela não tinha as curvas desnorteadoras e as poses não eram carregadas de sensualidade. Foi uma simples mini t-shirt, estampada com um dos meus desenhos animados preferidos, o mote do primeiro tema. Surpreendi-a logo aí. Ela deixou-se con…

Em folia no baloiço

«Carnaval» uma comemoração temática, tal como muitas outras, esvanece-se o motivo de tal celebração. O nascimento da palavra surge de carnisvalerium (carnis de carne + valerium, de adeus), indica o «adeus à carne» ou à «suspensão do seu consumo» Época de excessos para posterior jejum. Vestirmos personagens, esquecer o politicamente correto e dedicarmo-nos à folia.
Em mais uma pesquisa cibernética encontrei outro foco de diversão: o baloiço erótico. Lubricidade aliada à puerilidade de quem sempre apreciou baloiçar de cabelo ao vento, em idade mais tenra. 
Ambos empolgados com a nova fantasia, durante alguns dias foi o tema, intercalado na seriedade da rotina diária, que nos fazia sorrir. Ansiávamos cada vez mais pelo momento de brincadeira a dois. Não gostamos de premeditar estes momentos mas fantasiar deveria ser obrigatório a qualquer casal. São estes detalhes que nos unem e alimentam a cumplicidade.
Entramos no quarto, colorido, alegre, definitivamente carnavalesco. Avaliamos o esp…

Intensos expectadores na natureza

Hoje a caminhada foi mais longa do habitual. Iniciei mais cedo, acordei com muita energia talvez pelos dias primaveris que finalmente chegaram. Entretanto, lembro: há muito que desejo conhecer a praia dos pescadores.

Consegui chegar mesmo na hora do arrasto artesanal do peixe. Observo todo o reboliço de longe e admiro todo o trabalho duro dos homens do mar. No entanto, após alguns momentos sinto o sol mais quente e preciso descansar um pouco. Embrenho-me um pouco na vegetação até encontrar o local ideal para sentar e relaxar com a brisa marítima a misturar-se com a frescura verde matinal.

Quando a azáfama acalma um pouco oiço um carro a parar perto. Consigo vislumbrar por entre os fetos do meu lado esquerdo, um jipe que estaciona embrenhado entre os eucaliptos. Saem duas mulheres de cada porta da frente. Ambas alegres mas de postura receosa. 
Observam em redor ao aproximarem-se. Uma trás um vestido floreado de cores tropicais, comprido, a outra trás um vestido mais curto, solto e de …