Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Em folia no baloiço

«Carnaval» uma comemoração temática, tal como muitas outras, esvanece-se o motivo de tal celebração. O nascimento da palavra surge de carnisvalerium (carnis de carne + valerium, de adeus), indica o «adeus à carne» ou à «suspensão do seu consumo» Época de excessos para posterior jejum. Vestirmos personagens, esquecer o politicamente correto e dedicarmo-nos à folia.
Em mais uma pesquisa cibernética encontrei outro foco de diversão: o baloiço erótico. Lubricidade aliada à puerilidade de quem sempre apreciou baloiçar de cabelo ao vento, em idade mais tenra. 
Ambos empolgados com a nova fantasia, durante alguns dias foi o tema, intercalado na seriedade da rotina diária, que nos fazia sorrir. Ansiávamos cada vez mais pelo momento de brincadeira a dois. Não gostamos de premeditar estes momentos mas fantasiar deveria ser obrigatório a qualquer casal. São estes detalhes que nos unem e alimentam a cumplicidade.
Entramos no quarto, colorido, alegre, definitivamente carnavalesco. Avaliamos o esp…
Mensagens recentes

Intensos expectadores na natureza

Hoje a caminhada foi mais longa do habitual. Iniciei mais cedo, acordei com muita energia talvez pelos dias primaveris que finalmente chegaram. Entretanto, lembro: há muito que desejo conhecer a praia dos pescadores.

Consegui chegar mesmo na hora do arrasto artesanal do peixe. Observo todo o reboliço de longe e admiro todo o trabalho duro dos homens do mar. No entanto, após alguns momentos sinto o sol mais quente e preciso descansar um pouco. Embrenho-me um pouco na vegetação até encontrar o local ideal para sentar e relaxar com a brisa marítima a misturar-se com a frescura verde matinal.

Quando a azáfama acalma um pouco oiço um carro a parar perto. Consigo vislumbrar por entre os fetos do meu lado esquerdo, um jipe que estaciona embrenhado entre os eucaliptos. Saem duas mulheres de cada porta da frente. Ambas alegres mas de postura receosa. 
Observam em redor ao aproximarem-se. Uma trás um vestido floreado de cores tropicais, comprido, a outra trás um vestido mais curto, solto e de …

Compulsão contida

Momentos antes da conversa agradável, admirei a postura, profissionalismo e genuinidade. Ele estará no auge da idade adulta mas ainda revela inocência de menino na face, cora com facilidade e tem um sorriso tímido. Possivelmente o que me chamou a atenção foi a agilidade com que se move na sala cheia de clientes, muito mais do s que eu esperava, para um jantar de sexta-feira, familiar, de fuga à rotina.
Chegada a nossa vez, iniciamos uma conversa para aligeirar o atendimento automatizado. Alimentamos empatia. Afinal, também nós decidimos fugir da sobrecarga profissional e ali fomos para agravar o trabalho de outros. 
A cada visita á nossa mesa sorria com mais facilidade e continuava o tema intervalado pelo atendimento contínuo rigoroso. A determinada altura a imagem do menino, saído da escola com boas notas e responsável é dissipada. Confissões de alguém próximo admitindo o pé pesado que lhe trazem dissabores em forma de multas. Nessa altura o jovem de tez pálida e rosada admite tamb…

Escapadinha natura

O frio está instalado! Época de aconchego, mais tempo em casa, lãs, lareira, chá quente, meias indispensáveis....encantos de Outono e Inverno. Cada estação com o seu fascínio. Não sou de lamentar pela demora na chegada do calor. Sabes bem o quanto abomino a expressão "volta Verão". Tu, mais do que ninguém, conheces o quanto me custam as despedidas, neste caso do calor, dos dias longos e dos longos passeios e farras de exterior. Talvez pela absurda mudança de horário, ainda oficial, mas sem fundamento actual de existência. Suportas a minha birra, a maior parte das vezes a galhofar outras em empatia, acinzentamos a disposição juntos.

Passado este período de implicância, aceito a nova etapa e reconheço outros benefícios dos meses mais escuros. Há quem justifique por estudos e outros conhecimentos a relação entre hormonas e calor, é nesta altura que contrario o saber dos estudiosos. O namoro sabe tão bem nestas temperaturas, enroscamos mais, suamos menos, os nossos perfumes sua…

Yin-yang aluado

Entre muitos outros acontecimentos (alguns até muito agrestes), em 2017 a luta pela igualdade entre géneros incendiou internacionalmente. Desde a instauração do tumulto sobre o assédio nas redes e comunicação sociais (infelizmente o tema é divulgado de forma muito supérflua, pois abrange muito além do mundo cor de rosa) à recente lei vanguardista da Islândia que proíbe a desigualdade salarial. 
A Internet fomentou a cultura da informação: Conhecer além da nossa realidade. Globalizar as noticias e não só. Unir forças em prol de uma causa. No entanto, é nestas alturas em que chocam os guetos: no Nepal, apenas em 2017 se implementou uma lei para criminalizar o chhaupadi (uma antiga prática hindu que consiste em manter em isolamento ou discriminar uma mulher no pós-parto ou menstruada).

Comunidades onde nem a sabedoria ancestral prevalece, nem a cultura actual invade e esmorece os tabus instaurados. Já na Babilónica, idolatrava-se Isthar, a deusa da Lua, da terra, do amor, relacionada …

Regresso a borboletear

Finda mais um completo fim de semana. Estamos em meados de Outubro, um calor que ainda justifica a visita ao mar e muitos focos de incêndio pelo país nos quais tento não concentrar as atenções. Egoistamente prefiro minorar a revolta que gera com a ignorância. Entretanto a rádio dificulta esta tarefa.
A brisa evidencia a confusão do tempo: mistura o cheiro do Verão com a humidade de Outono, com ela surge alguma nostalgia. Perco-me em pensamentos, lembranças e reflexões ao som da musica. Paradoxalmente atenta, relembro a ultima leitura: O Cérebro – À Descoberta de Quem Somos. Divago no estudo do escritor, neurocientista - David Eaglemen. Não me lembro de alguma vez ter sentido o efeito do tempo parado. No entanto tenho imensas memórias e cada vez que as recordo revivo-as com mais ou menos detalhe, tendo algumas vezes a sensação de que o tempo na altura passou rapidamente e na memoria uma eternidade pelos detalhes evocados. Algo céptica com o estudo do senhor, que na introdução captou …

Delirante sobre-mesa

O Verão persiste em não terminar. Apesar do corpo já pedir o sossego dos dias mais frescos, é difícil ceder à lassidão quando se olha lá fora o sol radiante. As temperaturas ainda elevadas, para a época, estimulam o meu lado mais boémio. Assim, embora as férias já tenham sido consumidas há uns meses, está difícil sucumbir ás rotinas.
- Almoçamos juntos? Quero aproveitar mais um pouco de sol em conjunto.

- Tudo bem, mas terei direito á minha sobremesa? - responde-me assim, atrevidamente como hábito. Sorrio e não confirmo.

Simultâneamente com os dias quentes, fora de tempo, o trabalho tem sido mais intenso, e o cansaço domina-me facilmente. Alem de já sentir a alteração de estação mentalmente. Em tempos li um estudo que afirma que durante o mês de outubro, a maioria das pessoas dorme mais 2,7 horas por dia do que nos restantes meses, mas a qualidade e a profundidade do sono não serão tão altos como habitualmente, daí acabar por nos sentirmos constantemente sonolentos ao longo do dia, …

Quimera dissolvida em Mel I

"Dois é bom, Três é".... muito melhor! - Assim fantasiava muitas vezes em momentos de repouso com a de libido nos píncaros. Sonhos altos, quentes, de tal forma desejados até ceder a procurar registos cinematográficos de conteúdo para adulto. Quando o raciocínio recuperava forças, lembrava que tudo não passaria de mera fantasia. A timidez não permitiria viver tal loucura.
Com a idade e amadurecimento de conceitos e convicções, a desinibição para assumir fantasias surgiu. Em plena tertúlia noctívaga, questionada numa conversa sobre fantasias, sem recear repercussões, confessei a minha quimera nascida e aprisionada desde a adolescência. Alex (amigo circunstancial, impetuoso e muito tolo) diz conhecer alguém com quem deveria conversar.

Surpreendentemente Alex tinha razão. Houve um fascínio instantâneo entre mim e Mel. De tal forma que não esperamos muito para um encontro imediato. Logo, no dia seguinte, final de dia de trabalho, estaríamos, as duas entusiasmadas por trocarmos …