Avançar para o conteúdo principal

A melhor infusão do licor de gônadas!

Assim que viste aquele negligee no catalogo disseste que eu tinha que o ter. Eu gosto de te ver assim! Com o olhar cheio de malícia, nem pergunto o que tanto te seduziu na peça preta, de algum requinte pelo detalhe do cetim rosa, assumo que também me agrada e aceito a sugestão.

Na loja quando a compramos,  surge-me, de repente, uma ideia impetuosa. Conforme me surpreendeste eu quero retribuir. Peço-te com o olhar lânguido, por favor, deixa-me surpreender-te! Tenho toda a tua atenção, queres saber detalhes da minha imaginação que flui, como tão bem conheces. Sugiro só que me deixes vendar-te e amarrar. Esta segunda eu sei que não é do teu agrado mas desejo que não me possas tocar. consentes apenas a venda e estar ao meu dispor. Prometes não mexer as mãos e nem sabes dos meus planos lúbricos.

Li uma historia erótica que me deu o mote para algo que já tinha imaginado de forma muito lata. Amante de paradoxos, quero brincar com um de forma muito depravada!

Surge o dia decidido. Enquanto não chegas a casa, de mais um dia de trabalho, inicio os preparos. Fervo o chá e vou ao banho. Fresca, hidrato a pele e visto a lingerie por ti escolhida. Tão simples mas tão elegante e suave! Entras em casa e delicias a visão. Beijo-te e sugiro que não demores muito no banho. Preciso de ti!- digo-te de forma endiabrada.- espero-te na sala. Enquanto isso acendo umas velas, reduzo a luz e vou buscar todos os utensílios.

Sentas no sofá e, depois de mais um beijo doce, vendo-te com a minha écharpe de verão. Estás cheiroso, como eu, e continuo a beijar suavemente a tua pele, fazendo o percurso pelo teu rosto, pescoço, peito. Adoro provocar-te algumas cócegas nas costelas com ligeiras mordidas, e continuo a beijar ate ao meu encontro com o teu sexo. Toco ligeiramente com os meus lábios e sinto o teu corpo se contorcer. Acomodas-te melhor porque adivinhas o que estou prestes a fazer. E sim...vou acordar o teu desejo, com a minha boca de veludo (expressão brasileira) e apetência.

Gemes de satisfação e sinto-te já bem no ponto, firme como eu aprecio. Decido que é o momento certo para o efeito surpresa. Paro...deixo-te em suspense, enquanto pego na taça e no termo, deixados anteriormente na mesa, coloco a cada lado meu os recipientes, para estarem de fácil acesso. Não quero que esmoreças e tento ser o mais célere possível.

Coloco uma pedra de gelo na boca, seguro-a com os lábios, passeio-a desde o teu mamilo ate à base do teu desejo. Meto-a na boca e sugo-te de uma só vez. Gemes e contorces-te. Repito os movimentos até que a pedra derreta, o que parecem segundos. Não dou mais tempo e eis que sorvo o chá, que ainda esta bem quente. Sem engolir, mergulho a minha boca uma vez mais no teu tesão, que consegue enrijecer mais ainda, e soltas um Ahhh. Surpresa e prazer juntos. Humedeço, excito-me só de te apreciar e saborear. Estou inebriada pelo momento.
Repito o processo por mais três cubos de gelo e, mais uma vez, vou inovar. Quero que me sintas mas sem que o jogo termine. Estou a arder de desejo e coloco uma pedra em mim. Inspiro para não gemer e rapidamente sento no teu colo. Sei que o gelo não resistirá a tanta temperatura e faço-te entrar em mim só de uma vez. Soltas mais um gemido que me faz contrair. Gostas? pergunto. Estas a adorar e eu torno a arrefecer-me no interior. Nem eu imaginaria o prazer sentido. No teu colo, enterrada em ti, tiro-te a venda. Quero que me vejas. Já não seguras muito mais as mãos, que agora estão na minha anca, mas reparo no esforço para manteres a promessa.

Dizes-me que não aguentas muito mais. Paro. Saio de ti e sento-me no chão. Peço que te levantes. Quero o teu licor, quero te saborear. Apesar de surpreso, acolhes as minhas vontades. De pé preenches-me a boca gulosa e inicias o teu ritmo. Depressa a infusão acontece e fico deliciada e lambuzada com o teu êxtase, com o teu licor.

Definitivamente o melhor dos melhores - comentas tu ainda embriagado pela adrenalina e agora ameaças - Prepara-te é a tua vez!
http://hosted.x-art.com/galleries/all_i_want_is.../x-art_jessy_ashley_s_all_i_want_is...-tour-4-ltn.jpg
cedência de x-art.com

Comentários

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Unicórnio domado I

Escolhi chegar mais cedo, com o desejo de que o tempo de espera abrandasse a inquietude interna. Sentei-me num dos bancos, do lado menos movimentado da estação. A intenção era manter-me em discrição, apenas observar. Queria-a admirar de longe, quando chegasse. Queria-a ver procurar-me com o olhar. Imaginava o quanto estaria ela ansiosa na longa viagem. Seria o desejo dela por este encontro tão desmedido como o meu?

Fiquei novamente com a sensação de estar a viver no limbo. Esse mesmo sentimento a causa do nosso primeiro arrufo e afastamento precoce. Mania da desconfiança!

Fez mais de um par de anos desde que conversamos, continuadamente durante um mês, num chat, até nos voltarmos a cruzar no mundo cibernético. Não foram as fotos que me cativaram pois ela não tinha as curvas desnorteadoras e as poses não eram carregadas de sensualidade. Foi uma simples mini t-shirt, estampada com um dos meus desenhos animados preferidos, o mote do primeiro tema. Surpreendi-a logo aí. Ela deixou-se con…

Em folia no baloiço

«Carnaval» uma comemoração temática, tal como muitas outras, esvanece-se o motivo de tal celebração. O nascimento da palavra surge de carnisvalerium (carnis de carne + valerium, de adeus), indica o «adeus à carne» ou à «suspensão do seu consumo» Época de excessos para posterior jejum. Vestirmos personagens, esquecer o politicamente correto e dedicarmo-nos à folia.
Em mais uma pesquisa cibernética encontrei outro foco de diversão: o baloiço erótico. Lubricidade aliada à puerilidade de quem sempre apreciou baloiçar de cabelo ao vento, em idade mais tenra. 
Ambos empolgados com a nova fantasia, durante alguns dias foi o tema, intercalado na seriedade da rotina diária, que nos fazia sorrir. Ansiávamos cada vez mais pelo momento de brincadeira a dois. Não gostamos de premeditar estes momentos mas fantasiar deveria ser obrigatório a qualquer casal. São estes detalhes que nos unem e alimentam a cumplicidade.
Entramos no quarto, colorido, alegre, definitivamente carnavalesco. Avaliamos o esp…

Habitual serão genuíno

Recentemente alguém se surpreendia com uma das nossas brincadeiras; apanhados em toques de tornozelos sob a mesa, ouvimos: "Isso não é normal! Se fossem um casalinho juntos há um mês,entendia-se, agora vocês?!" - Gargalhei e fui capaz de uma resposta arrojada:

- "Vocês nem imaginam! Com o tempo isto só melhora!"
Estavas particularmente carente durante o jantar. Provavelmente, o vestido novo de tecido fino, denunciava a ausência de vestes interiores e isso terá sido apenas a acendalha das brincadeiras. Às vezes desejo que sejam assim todos os casais que conhecemos, desde familiares a amigos, vizinhos e conhecidos. Acho completamente saudáveis estes momentos de boa disposição no final de um dia rotineiro. Gosto de imaginar todos os casais felizes no regresso a casa, o derradeiro momento relaxante do dia a dia. 
Entretanto, naquele dia  estavas mais endiabrado. Mesmo com gente em casa, não resistias a provocar-me a pele sempre que por mim passavas. Depois do janta…