Avançar para o conteúdo principal

Ecletismo sexual


Freud, criador da psicanálise, afirmou que todos nascemos bissexuais. Já Alfred Kinsey, conhecido como pai da revolução sexual, definida na escala de kinsey, disse que podemos ser bissexuais, homossexuais ou heterossexuais em determinados períodos ao longo da vida. Investigações muito debatidas e fundamentadas, paradoxalmente tal como o conceito em si: bissexualidade. 

Quer tenha regressado às minhas origens, quer seja apenas um momento da minha vida defino-me como polivalente. Aprecio ambos seres, masculino e feminino de uma forma muito autêntica. A mulher tem o dom da sensualidade e suavidade, o homem o dom da objectividade e vigor. Há dias que temos mais vontade de sal outros de açúcar. E mantendo esta minha coerência, delicio-me com o sabor agri-doce.

Relembro um serão de sábado, pouco depois de já ter firmado a minha bissexualidade. A necessidade de dançar era urgente e, sem escolher o local, terminei as primeiras horas da madrugada num bar liberal. Só depois dos primeiros copos me apercebi que o tema era o lado 'B' da vida. Alentei a voyeur em mim. Rejubilei com homens apaixonados entre si e mulheres a seduzirem outras ao som de Madonna dos anos 80.

Nesta altura senti no meu interior o quanto estas mentes libertas de amarras sexuais me incendeiam. Não reconhecia a origem da minha humidade no ventre: álcool, dança, temperatura ou hormonas em reboliço.

http://hosted.x-art.com/galleries/getting_our_pussies_wet_for_you/x-art_karla_kush_melissa_moore_getting_our_pussies_wet_for_you-11-sml.jpg
X-art.com
Hoje é destes dias! Invadiu-me uma cupidez de beijos a suaves e doces, de pele macia e seios aveludados, cabelos longos para segurar e afagar, voluptuosas ancas para prender à minha. Há dias que sou dominada por esta fome. Apenas saber se sou desejada num olhar ou mesmo quando os meus dedos invadem a ostra húmida e quente de outro ser como eu! Ouvir uma mulher gemer ao meu ouvido com as minhas carícias. Tocá-la da forma que eu gosto de ser tocada e deixar que me retribua o mesmo gesto, as mesmas intenções, com dedos delicados e ágeis. Descobrir lentamente outras sensações. Mergulhar a boca num clitóris e perder-me em beijos franceses com os lábios vaginais. Hoje quero uma mulher! Ser de emoções! Corpo repleto de erotismo pelas curvas que lhe desenham as formas!

Comentários

  1. A classificação pouco nos interessa, os apetites surgem de forma espontânea e o mundo liberal é aquele que cada um tem a coragem de escolher para si...com mais ou menos amarras ou limites, há que ter a coragem para viver o que a mente imagina e o corpo exige! ;)

    Beijinhos e abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais coragem e determinação para vencer a honestidade intelectual porque essa é a q nos faz sentir bem :)
      Viver intensamente é o meu lema mas confesso q é um bom desafio!
      Bjinhos Tb sou adepta das vossas letras ;)

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Unicórnio domado I

Escolhi chegar mais cedo, com o desejo de que o tempo de espera abrandasse a inquietude interna. Sentei-me num dos bancos, do lado menos movimentado da estação. A intenção era manter-me em discrição, apenas observar. Queria-a admirar de longe, quando chegasse. Queria-a ver procurar-me com o olhar. Imaginava o quanto estaria ela ansiosa na longa viagem. Seria o desejo dela por este encontro tão desmedido como o meu?

Fiquei novamente com a sensação de estar a viver no limbo. Esse mesmo sentimento a causa do nosso primeiro arrufo e afastamento precoce. Mania da desconfiança!

Fez mais de um par de anos desde que conversamos, continuadamente durante um mês, num chat, até nos voltarmos a cruzar no mundo cibernético. Não foram as fotos que me cativaram pois ela não tinha as curvas desnorteadoras e as poses não eram carregadas de sensualidade. Foi uma simples mini t-shirt, estampada com um dos meus desenhos animados preferidos, o mote do primeiro tema. Surpreendi-a logo aí. Ela deixou-se con…

Em folia no baloiço

«Carnaval» uma comemoração temática, tal como muitas outras, esvanece-se o motivo de tal celebração. O nascimento da palavra surge de carnisvalerium (carnis de carne + valerium, de adeus), indica o «adeus à carne» ou à «suspensão do seu consumo» Época de excessos para posterior jejum. Vestirmos personagens, esquecer o politicamente correto e dedicarmo-nos à folia.
Em mais uma pesquisa cibernética encontrei outro foco de diversão: o baloiço erótico. Lubricidade aliada à puerilidade de quem sempre apreciou baloiçar de cabelo ao vento, em idade mais tenra. 
Ambos empolgados com a nova fantasia, durante alguns dias foi o tema, intercalado na seriedade da rotina diária, que nos fazia sorrir. Ansiávamos cada vez mais pelo momento de brincadeira a dois. Não gostamos de premeditar estes momentos mas fantasiar deveria ser obrigatório a qualquer casal. São estes detalhes que nos unem e alimentam a cumplicidade.
Entramos no quarto, colorido, alegre, definitivamente carnavalesco. Avaliamos o esp…

Assim nasce ... uma cruzada iluminada!

É na viragem do ano que muitas pessoas refletem sobre o balanço do mesmo. Não o costumo fazer mas é quase inevitável não pensar no tema. Prefiro outra altura, também marcante mas mais pessoal, só minha. Sigo o lema: Um ano novo é quando o Homem quer! (adaptação) - afinal os orientais não comemoram na mesma altura que os ocidentais (sendo o próximo a 5 de Fevereiro) e há algum tempo atrás, antes do calendário gregoriano, o ano novo era celebrado apenas a 1 de Abril!
Os últimos tempos têm sido intensos em crescimento, em emoções em ... viver! Devota do conceito mindfulness, tento usufruir muito mais do momento, talvez seja o amadurecimento a dar ares da sua graça. Quando revivo o passado, sinto uma espécie de ritual de conclusão e por isso, abominando as despedidas, dediquei-me menos a este cantinho de ócio. O monopólio pelos momentos e memórias é cada vez mais renitente.

Comum a qualquer ser, aqui ao outro lado do globo, recordo o drama, a doçura, alegria, amizades que se firmaram e o…